It’s a project for the Museu à Beira do Oceano in São Vicente, where Lina Bo Bardi uses the idea of transparency, later employed in the MASP project.

Description in Portuguese

A Prefeitura de São Vicente, em 1951, propôs à arquiteta Lina Bo Bardi a elaboração de um museu à beira mar sobre a areia da praia e voltado ao Oceano Atlântico. A estrutura é formada por cinco pórticos de concreto armado, com vinte metros de altura, distantes também vinte metros um do outro. O corpo do museu é formado por um bloco completamente fechado exceto para o lado de frente para o mar, implantado de tal modo a não permitir a incidência de luz solar. É neste espaço em que são estudadas áreas para a exposição de peças ao ar livre, e em áreas internas, onde há também a disposição de salas de aulas e o auditório, todos delimitados por paredes móveis, que independem da estrutura. O acesso ao corpo do edifício dá-se por uma rampa situada na parte central deste.

Por fim, devido à proximidade da água e a conseqüente umidade da maresia que poderia vir a prejudicar as obras de arte ali expostas, a “elevação da construção” foi uma saída que veio a proporcionar um térreo único e vazio, garantindo boa visibilidade da praia de todos os locais ao redor do Museu.